Meu olhar de mãe

“Para compreender os pais é preciso ter filhos.”

Sofocleto

A frase “depois que fui mãe consegui entender melhor minha mãe” é mais do que verdadeira. Quando somos crianças e principalmente adolescentes muitas vezes achamos nossas mães chatas, antiquadas, pois nos prendem demais, queremos sair ficar com nossos amigos, “achamos” que conseguimos administrar a nossa vida.

Hoje vejo como meus pais me deram liberdade, não sei se serei com meus filhos como eles foram comigo, até porque a época era bem diferente. Eu brincava muito na rua, na casa dos vizinhos, dormia na casa de amigas, hoje os vizinhos quase não se veem, não conheço os pais dos amigos dos meus filhos.

Se eu pudesse colocaria meus filhos em uma bolha para nada os atingirem, interferia em tudo para eles nunca sofrerem, faria qualquer coisa para não ver lagrimas em seus olhos, mas aí eles não aprenderiam nada também e seriam inseguros, imaturos e dependentes a mim. IMG_5309-COLLAGE

A vida nos ensina muito e vejo que às vezes eles precisam passar por certas experiências para poder aprender. Precisam resolver seus conflitos sozinhos, acertar e errar.

Nós pais vivemos em constante preocupação. O mundo consegue ser bem cruel, quando não aprendemos no amor, aprendemos na dor.

Para meus filhos, muitas vezes sou chata por não os deixar fazer o que querem na hora que bem entendem, acontece que eles precisam ter limites e saber conviver, ao viver em sociedade é preciso saber respeitar.

Meu olhar de filha e de mãe se é diferente? Nossa como é! Eu filha quero ser livre, fazer minhas próprias escolhas, ir e vir sem ter que dar muita satisfação; já eu mãe quero que meus filhos experimentem algo novo, mas não quero perdê-los de vista, quero saber onde estão e quero estar ciente de suas escolhas .

Às vezes sofro antecipadamente, imagino demais. Tenho medo de machucarem meus filhos, deles sofrerem, de serem violentados… Quando foram para escola o meu maior medo foi o bullying, por serem tão pequenos e não saberem se defender.

Lembro de quando mudamos de cidade, foi mudança de casa para apartamento, minha pior tortura foi permitir que eles descessem sozinhos para brincar no parquinho aqui do prédio, fiquei cuidando da janela do apartamento até vê-los chegarem no parquinho.  Apesar da minha mente fértil querer me sabotar e impedi-los de brincar, vejo o quando essa independência fez bem para eles, principalmente para Davi, que amadureceu muito, está mais confiante, esperto e inteligente.

Acredito que muitos pais são assim, os noticiários não ajudam muito, é só desgraça, por isso ficamos paranoicos e queremos saber onde e com quem nossos filhos estão o tempo todo. O maior problema é que na ânsia de protegê-los acabamos impedindo-os de descobrir algo novo, fazer novas amizades e viver essa vida que é tão maravilhosa. Temos que tentar encontrar um meio termo, um equilíbrio, para que eles possam aprender com todos os acontecimentos da vida e para que sejam adultos capazes de resolver seus próprios problemas, confiantes de si e de escreverem a sua própria história.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s