Sentimentos

Sentimentos como raiva, dor, tristeza, angústia, ansiedade, fazem parte da vida de todos, aprender a reconhecer o que está por trás desses sentimentos faz toda diferença para termos uma vida mais harmoniosa conosco e com aqueles que nos cercam. Assim, é importante saber nomeá-los e ensinar nossos filhos a fazerem o mesmo. Bem como, saber diferenciar o que ele está sentindo ou alguma atitude sua, do que ele realmente é.

A irritação, o desconforto, dor no estômago, dor na barriga, dor de cabeça, nervosismo, tristeza, ânsia por chamar atenção dos pais são geralmente consequências de sentimentos temporários que o estão incomodando e que a criança não consegue nomear ou colocar para fora.

Por exemplo, a Luana quando está chateada com algo ela faz um som com a boca extremamente irritante, quando ouço já sei que tem algo errado. Acontece que quando ela está assim por causa de algo que os irmãos fizeram é fácil resolver. O difícil é quando ela não sabe dizer e eu, na ânsia de encontrar a solução, fico nomeando as hipóteses. Às vezes acerto, mas quando erro ela fica mais irritada, aí o que resolve é o acolhimento, abraço, beijinho ou simplesmente deixa-la quietinha até a irritação passar.

Já o Davi é mais provocador, quando ele está chateado não para de falar, fica reclamando e provocando eu e as irmãs, nesse caso já tenho que procurar ao máximo descobrir o que está por trás daquelas atitudes, senão ele vai me deixar irritada e vai brigar com as irmãs, com certeza. E Mariana, como ainda é muito pequena, chora quando tem algo a incomodando.

Estou aprendendo a nomear meus sentimentos, que no meu caso se manifestam mais como ansiedade e irritação. A ansiedade me tira o sono, me dá dor no estômago e muitas vezes tenho insônia. Já a irritação é pior, pois acaba afetando André e as crianças, fico sem paciência.

Depois que comecei a identificar o que estava sentindo, as coisas começaram a melhorar e externalizar tem ajudado  muito também. Quando não estou bem falo para as crianças o que estou sentindo e elas tem reagido bem. Peço ajuda e a encontro em um abraço, beijo, carinho, compreensão ou simplesmente ficam em silêncio, respeitando o meu momento.

Expor os sentimentos não é algo fácil, admiti-lo dizendo o que sente precisa de uma dose de paciência, auto compaixão e coragem. Temos de ficar atentos e ter consciência do que está acontecendo dentro de nós, para assim decidir como agir de forma que os que estão a nossa volta não sejam atingidos. 

Só vamos conseguir ensinar nossos filhos a nomear e agir em relação ao que estão sentindo quando aprendermos a fazer o mesmo. Isso é treinamento diário. Os filhos copiam aquilo que eles nos veem fazendo, então quando você vê seu filho tendo uma atitude que não lhe agrada procure ver se ele não está somente copiando uma atitude sua.

Marshall B. Rosenberg, em seu livro Comunicação Não-Violenta, faz uma lista de como é provável que nos sintamos quando nossas necessidades não são atendidas. A lista é uma grande ferramenta para nos ajudar a identificar e expressar de forma clara o que estamos sentindo, são eles:

Lista de sentimentos negativos

É importante ter em mente que você não é seus sentimentos! Você não é nervoso, ciumento, estressado, irritado, triste, mal humorado, pode até estar se sentindo desse jeito, mas isso não diz quem você é, é algo passageiro, saber diferenciar isso em nós e em nossos filhos, faz com as crenças limitantes não nos definam e nos impeçam de crescer de forma abundante e com fé na vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s