O sonho que nunca sonhei

photo of a girl playing with the camera
Photo by Kha Ruxury on Pexels.com

“Nunca é tarde para ter um novo objetivo ou sonhar um sonho novo.” C.S. Lewis

O que você quer ser quando crescer?. Essa é uma pergunta que já ouvimos muito, hoje fazemos para as nossas crianças e meus filhos a tem feito com uma certa frequência pra mim nos últimos meses: “mamãe o que você queria ser quando era criança?”. Confesso que eu não soube responder. A única coisa que me lembro era que queria ter três filhos, isso sempre quis. Mas quanto a algo profissional, disso eu não me lembro. Pelo menos não de quando tinha a idade dos meus filhos e que fosse algo marcante capaz de me fazer imaginar como seria quando pudesse trabalhar com aquilo.

Quando era adolescente queria fazer faculdade de Direito, mas depois que conclui o curso não o vejo como a realização de um sonho, e sim mais como  uma obrigação. Sempre quis fazer faculdade e a desejei muito e me visualizava sendo servidora pública, algo que qualquer outro curso também poderia me proporcionaria. Gostava muito de historia na época de colégio, era a matéria que mais me envolvia, fico pensando porque não fiz faculdade de Historia, talvez seja porque o Direito poderia me dar mais possibilidades profissionais, principalmente na área de concursos que era o meu foco. Enfim, nunca fiz a prova da Ordem e estudei durante alguns anos para concurso. Trabalhei como servidora pública por três anos e meio e hoje sou mãe em tempo integral de três filhos lindos e vivo a realização de um sonho que nunca sonhei que é escrever.

Às vezes fico olhando Davi e Luana brincando e já com seus sonhos. Davi (7 anos) desde muito pequeno gosta de dinossauros e fala pra todo mundo que quer ser arqueólogo. O que acho mais bonitinho são as brincadeiras em relação a isso e a irmã entra na onda. Brincam que estão escavando, que estão carregando cabeça de dinossauro e assim vai. Quando o levamos para cortar o cabelo, ele disse todo orgulhoso para o barbeiro que quer ser arqueólogo e que é o único de sua sala que quer isso. Outro dia ele reclamou pra mim que alguns de seus colegas de sala disseram que ele deveria querer ser jogador de futebol como eles, mas com convicção afirmou que quer ser arqueólogo.

Já Luana (5 anos) disse querer ser veterinária. Desde muito cedo sempre demonstrou amor pelos bichos, ela gosta de todos, como ela mesmo diz “eles são tão fofinhos”. Quando ela pega um cachorro no colo não quer mais largar. Os brinquedos de pelúcia são os que mais gosta, ela coloca até nome nos animais e brinca que cuida deles.

Mariana (1 ano) por enquanto só gosta de Peppa e Galinha Pintadinha e brinca com todos os brinquedos.

Não sei se quando crescerem esses sonhos de criança farão algum sentido para eles, se quando tiverem a idade de escolher qual profissão seguir irão ratificar seu desejo atual de ser arqueólogo e veterinária, mas espero que sim, porque vejo o quanto doce e singelo é o sonho deles, sem julgamentos ou preconceitos, eles o imaginam com o coração.

Quantos pais querem determinar a profissão de seus filhos, criando expectativas em cima deles baseadas em suas experiencias profissionais. Querem que eles sigam a mesma profissão do pai, ou o sonho dele que não foi realizado, ou determinada profissão só porque “dá mais dinheiro”. Pais que só vêem o financeiro, o sucesso profissional através do bem material que ele irá proporcionar, e esquecem de analisar se seu filho será feliz, se fará aquilo que gosta.

Ao terminar o ensino médio exigimos que nossos filhos decidam qual a profissão terão para o resto da vida. Não é por acaso que muitos não concluem a sua primeira opção de curso superior ou que levem algum tempo para se encaixarem e se identificarem com algo que gostem de fazer, pois muitos ainda não tem maturidade para decidir.

O bacana da vida é sempre termos sonhos. Conforme amadurecemos, os sonhos acompanham a nossa mudança. Quantas pessoas conhecemos que hoje vivem a realização de um sonho que nunca sonhou, que as circunstancias fizeram sua vida tomar um rumo diferente da que idealizou. Temos que saber lidar com as adversidades e mudanças criando oportunidades para novos desejos, assim motivos para seguir em frente.

E você trabalha com aquilo que sempre sonhou? Seus sonhos mudaram? Você é feliz e realizado profissionalmente? O que precisa fazer para mudar tudo isso? Talvez não consiga jogar todos esses anos de profissão para o alto e trabalhar com aquilo que deseja, afinal você tem uma família para sustentar e contas para pagar, mas que tal dar um passo de cada vez e começar hoje a se dedicar um pouquinho do seu dia para a realização de seu sonho. A idade que terá quando conseguir concretizá-lo é  a mesma que terá caso fique parado, então mãos a obra!